Sapatos

O dilema do couro

11/07/2014
Ano passado virei vegetariana e isso mudou minha vida em muitos aspectos, claro. Um deles, é em relação à compra de sapatos e casacos. Ora, se eu não me alimento de vacas, tampouco vou usá-las. Por isso, sempre tenho o maior cuidado quando vou a uma loja para ver uma bota, por exemplo, me certificando que não seja de couro. Já aconteceu da atendente me garantir ser material alternativo e eu chegar em casa, pesquisar na internet, e descobrir que havia partes da bota que eram de couro.
 
piccadilly
 
 
Por isso, o meu cuidado redobra a cada dia. O importante é ser objetivo e chegar na loja e dizer: moça, eu NÃO uso couro, o que tu tens de alternativa pra mim? Se não, muitas até podem tentar “encobrir” que não é de couro achando que assim é que irão conquistar a venda.
 
Há alguns dias eu me apaixonei por uma bota da marca Piccadilly. Pelo preço, imaginei que fosse couro, mas perguntei sem compromisso e a moça foi firme: não, a Piccadilly não é couro! Mas tu tem certeza, moça? Sim, pode ficar tranquila!
Cheguei em casa e li na caixa “camurção” e meu coração quase parou. Pesquisando em algumas lojas virtuais, as informações eram contraditórias. Para não restar dúvidas, entrei em contato com a marca tanto por telefone quanto por e-mail e as informações foram as mesmas, ou seja:

“Bom dia Juliana, tudo bem?
Primeiramente gostaríamos de agradecer seu contato conosco.
Quanto ao seu questionamento, informamos que o material da bota é camurção, tipo camurça, porém mais resistente.
A Piccadilly não trabalha com matérias primas em couro.
Para maiores esclarecimentos, estamos à disposição.”

 
Lendo essa matéria no site Vista-se – aqui – vemos que a Piccadilly preocupa-se em investir em pesquisas e tecnologias para garantir conforto e materiais resistentes e éticos, mostrando que não é necessário ser de couro para ser de qualidade, duradouro e bonito. 
 
No próprio site da marca, há uma área onde diz “Tecnologia e Conforto” e na parte de “Materiais Tecnológicos”, vemos:
piccadilly
 
O meu objetivo aqui, trazendo esse relato, não é evangelizar ninguém, dizer que é certo ou não usar couro. Cada um tem as suas preferências. O que eu quis abordar é que há, sim, alternativas bacanas e empresas preocupadas em fazer um trabalho ético e melhor em relação ao meio ambiente. Digo isso, pois muitas vezes quando comento que não uso couro as pessoas se espantam e dizem: mas como tu consegue? Só couro é de qualidade. 
 
O bacana é ver que, quando abrimos a consciência, saímos da zona de conforto e vamos atrás, pesquisamos, acabamos por descobrir muita coisa bacana por aí, novos materiais alternativos, novas empresas com filosofias admiráveis e o melhor, pessoas preocupadas em trazer o melhor a outras pessoas sem ferir e prejudicar o ecossistema como um todo.
 
De agora em diante, Piccadilly entrou na minha lista do coração 🙂 
 
Beijos!
 
 
 

Comentários

comentários

4 comentários

  1. Se sua preocupação é só com “usar a pele de uma animal” ok, mas o couro ecológico substituto normal do couro, para ser fabricado, tem tanto ou mais prejuízo ao meio ambiente como um todo do que o couro animal. Tome também esse cuidado!

Deixe o seu comentário!